30 de dezembro de 2008

Fim De Ano

Amanhã é véspera de Ano Novo.

E eu começo a entender o porquê de tantos blogueiros deixarem suas páginas às moscas.

Dá uma preguiça de postar nessa época do ano...

27 de dezembro de 2008

Relatos Do Front

- O fim de ano em Arcoverde está uma porcaria. O nosso prefeito reeleito brindou a cidade com uma festa que nem em sonho lembra as que ocorriam na minha infância. Todos por aqui reclamaram;

- Descoberta sensacional em termos de heavy metal: Aria, considerada a maior banda do gênero surgida no período soviético. Eu ouvi o primeiro álbum deles aqui, de 1985. Imagine o instrumental dos dois primeiros discos do Iron Maiden com os vocais de Ronnie James Dio - em russo. Eu adorei.

25 de dezembro de 2008

Grandes Esperanças

O Santa Cruz Futebol Clube, O Mais Querido Das Multidões, está passando por grandes mudanças. Já estava antes de eu tirar minhas férias sabáticas do blog, mas só agora nós, tricolores, pudemos sentir o gostinho da mudança. Certo, não dá pra dizer muita coisa. Entretanto, só o fato de o clube ter o estádio reformado em suas estruturas, e receber um gramado de alta qualidade com sistema de irrigação automatizado, já significa muita coisa.

A mudança do patrocinador de material esportivo também é motivo de vitória. Só o fato de saber que vamos dar adeus à sebosíssima Champ's, que cometeu o disparate de fazer um escudo no qual o branco foi substituído por cinza (!), já significa muita coisa.

A contratação, no período de um mês, de 20 jogadores, bem como o aproveitamento de alguns oriundos das divisões de base também é sensacional. Além disso, a promessa a ser concretizada da construção do novo CT e do maior apoio aos pratas da casa já significam muita coisa.

Mas se consideramos que nenhuma competição começou e que nenhum aspecto prático da mudança rendeu resultados em campo, vemos com temor que na prática isso ainda não significa nada. Espero que só ainda.

23 de dezembro de 2008

E O Tornado Passou

Eu me sinto justamente dessa forma, como se um turbilhão de vento tivesse passado em cima de minha casa, de minha cabeça, de minha vida. Esses dois meses de ausência foram loucos, e me deixaram exaustos. Foram viagens, tensão, mecanicidade indesejável como se eu fosse um daqueles computadores antigos, que enchiam uma sala inteira.

Esse sacrifício também rendeu seus frutos. Eu aprendi a lição sob muitos aspectos. Tive minha dose de vitórias também, o que me deixa em dívida com a Providência Divina. Espero saber agradecer à altura. E, como era de se esperar, minha cabeça está cheia de sonhos e planos, inclusive do que fazer se as coisas não saírem exatamente como planejado.

Acho que o que mais me marcou nesse período de tempo, como símbolo dessa mudança relâmpago, foi algo que uma colega minha - que eu não via já há algum tempo - me disse, em um encontro post-mortem da minha turma da faculdade. Ela me disse: "Você está diferente da última vez que eu o vi: está mais seguro de si". Se é em momentos de crise que nós crescemos, então...

7 de novembro de 2008

Devagar, Quase Parando

Este blog vai passar por um período de postagem incerta nos próximos dois meses. Passei aqui para avisar isso e também para dizer que sim, fiquei feliz com a vitória de Obama nos EUA. Pelo menos garantimos mais uns 8 anos sem guerra nuclear com a Rússia ou a China.

1 de novembro de 2008

Sem Moral

Passou o Halloween, com as comemorações de praxe.

Do dia do Saci, no entanto, nem sombra.

Ao menos no que diz respeito à dominação cultural, "The US are still owning".

29 de outubro de 2008

Redenção

Woody Allen, o prototípico nerd tímido mas que conseguiu transar, afirmou recentemente em entrevista ao New York Times que é fascinado, e até mesmo obcecado, pela beleza feminina. Allen é conhecido por filmes onde contracena com mulheres normalmente belíssimas. Gagueja, gagueja, fica com vergonha, mas no final das contas termina levando um "ai que fofinho" e vai pra cama com a mulher bonita.

É a redenção. Pra muita gente, Allen é, insisto, o nerd tímido mas que as mulheres ainda têm a pachorra de considerar sexy. Tá, concedo que só certos tipos de mulheres sentem atração por esse tipo de cara. Normalmente elas também fazem o tipo inteligente e sexy. Mas ainda assim, é alguém que foge dos padrões bonitões-cabeções estilo Chico Buarque e tem a coragem de admitir que gosta de mulher bonita.

Se Allen pode, por que eu também não? (e ai de quem vier dizendo que eu não tenho a grana dele)

* * *

O que nos leva a alguém que é séria candidata a rainha das MILF's...

28 de outubro de 2008

Cegueira Do Mercado

O único usuário da última flor do Lácio a deter um prêmio Nobel de Literatura, José Saramago, não perde a chance de alfinetar o mercado, os liberais e a direita, como bom marxista que é. Em entrevista coletiva para o lançamento da versão cinematográfica do livro "Ensaio Sobre a Cegueira", Saramago criticou o uso do dinheiro para salvar instituições financeiras, e não para resolver graves problema sociais ao redor do mundo.

Cá pra nós, eu sempre soube que a esquerda portuguesa tivesse uma quedinha por Stalin. Saramago, no entanto, adota posturas que geralmente vão de encontro ao modelo de socialismo real e declarou que havia rompido com Cuba. Posso estar errado, mas parece que o velho tuga é uma voz destoante em seu próprio país. Pro nosso bem, diria.

25 de outubro de 2008

Trollagem

A pior coisa que pode acontecer a uma comunidade razoavelmente bem estabelecida na internet é sofrer um ataque de trolls. Diz a Wikipédia que a origem do termo não tem necessariamente a ver com a mitologia nórdica:

The contemporary use of the term is alleged to have first appeared on the internet in the late 1980s, but the earliest known example is from 1991. It is thought to be a truncation of the phrase trolling for suckers, itself derived from the fishing technique known as trolling.

No entanto, é óbvio que os trolls mitológicos são muito mais engraçados de se imaginar no papel de pessoas que não têm nada pra fazer e, pior, não utilizam esse ócio de uma forma positivamente criativa.

Pior ainda, os trolls de internet não viram pedra quando vêem a luz do dia. Então eles continuam.

22 de outubro de 2008

A Peleja Do Rato Com A Dona Do Céu

Há quem diga que Fittipaldi foi um bom piloto de F-1, nos tempos áureos em que ainda existia uma equipe chamada Brabham usando o valente motor Cosworth DFV V8. Eu não vi essa fase da F-1 por motivos óbvios, já que seu último título na categoria foi em 1974. Numa época em que também existiam Jackie Stewart, Gilles Villeneuve e Phil Hill é meio difícil acreditar nisso, mas seus dois títulos mundiais são suficientes para calar minha boca arrogante.

Eu conheço um tanto melhor Clarice Lispector. Ok, conhecer é uma figura de linguagem. Mas como escritora ela era, de fato, hors concours. Qualquer livro que se leia dela é motivo para ficar pelo menos uns minutos procurando o chão. Quando eu li "A Paixão Segundo G.H.", fiquei alguns dias meio bobo, como se tivesse acabado de chegar na Terra.

O que haveria de sair de um encontro entre os dois?

Agora você sabe. E, por sinal, a primeira pergunta que ela fez ao Rato foi absurdamente intimidadora:

- Sobre o que você quer falar?

Talvez o piloto não soubesse exatamente o que viria pela frente, talvez ele nunca tivesse lido nada daquela senhora de olhos rasgados, língua presa e uma mão seca. Mas se eu estivesse frente a frente com ela e ela me perguntasse isso, eu juro que sairia correndo assustado gritando "Manhê, ela vai desvendar os mais profundos recônditos de minha alma!!!".

19 de outubro de 2008

É Que Dá Uma Saudade...

Ao longo dos anos, Los Hermanos foram perdendo guitarras, mas sob muitos aspectos ganhando um pouco de poesia. Agora, após a banda e com projetos separados, os membros continuam, em linhas gerais, a linha do quinteto barbudo. Marcelo Camelo não é exceção.

Parece que Camelo era, dos componentes da banda, o que mais sentia nostalgia dos anos 80. Não a breguice adulta e blasé, mas da infância que todos nós tivemos. Vocês sabem bem o que eu quero dizer: cabelinho de cuia, aquelas camisetas pólo listradas e multicoloridas, os trocentos lançamentos de jogos e brinquedos da Estrela, as tardes perdidas com os amigos jogando os referidos jogos (e outros que a imaginação tratava de providenciar), os primeiros All-Star antes de eles tornarem-se ícones emo...

Essa música do álbum solo do rapaz me lembra muito essa época. E dá uma saudade...

Mais Tarde
(Marcelo Camelo)
Pode ser até do corpo se entregar mais tarde
Parece simples mas a gente às vezes é
E o amor é lindo deixo
Tudo que quiser eu não me queixo em ser
Acho normal ver a vida feito faz o mar num grão de areia

É de se entregar a sorte e todo mundo vai saber em ver
Que o vai e vem pode ser eterno
Pra ver quem manda
Acho que não vai dar tô cansado demais
Vou ver a vida a pé
Acho normal tá no mundo feito faz o mar num grão de areia

16 de outubro de 2008

Bem...

De volta à prancheta de desenhos. Ou melhor, aos livros de concurso.

13 de outubro de 2008

Coroando Uma Era

Paul Krugman recebeu o Prêmio Nobel de Economia deste ano. Parece que os liberais estão em franco declínio.

10 de outubro de 2008

Merece Um Post

Eu nem pretendia postar hoje, mas a situação era tão absurda que merecia comer um pouco de html de minha parte. Aparentemente, um engraçadinho colocou a Islândia à venda no E-Bay por menos de R$ 4. Fez questão ainda de frisar que Björk e a Groenlândia não estão incluídas no pacote.
O negócio já está com lances de 39 milhões de reais.

A piada não é totalmente sem noção: com a crise mundial, a Islândia, que via muito de sua prosperidade baseada em bancos, viu-se obrigada a ter de estatizar seus 3 maiores bancos e retirar-se do mercado inglês, o que não deixou o primeiro-ministro Gordon Brown muito satisfeito. Um documento das autoridades financeiras locais autorizou o governo a tomar esse tipo de medida para evitar que o país quebrasse, coisa não muito difícil num pedaço de gelo e rocha vulcânica encravado no meio do Atlântico Norte e que tem a mesma população de Caruaru.

9 de outubro de 2008

Blogando!

Novidade no blogroll do Bolo de Rolo. Quem entra na roda - ou melhor, na confeitaria - agora é meu companheiro de tantas batalhas contra as letras, Eduardo Chianca, que neste momento está vivendo no moedor de nordestinos, também conhecido como São Paulo. Ajudem-no a sentir-se menos solitário em meio à garoa e comentem no Pena & Tinteiro!

* * *

Em breve, este blogueiro estará participando de um novo projeto. Aguardem!

7 de outubro de 2008

O Cara Da Flautinha

Eu não sou necessariamente um fã dos progressivos do Jethro Tull, mas tem um álbum deles de que gosto bastante: o "Songs From The Wood". A combinação de elementos do rock progressivo com música étnica dos EUA e ilhas britânicas ficou ótima.

Na faixa-título do álbum, Ian Anderson, o cara da flautinha, proclama em dois versos:

"Join the chorus if you can
It'll make of you an honest man!"


A piada estava prontinha, esperando para ser descoberta. Mas o fato é que muitas figuras públicas brasileiras poderiam se juntar ao coro, sim.

5 de outubro de 2008

Eleições Do Cacete

(O mundo caindo à minha volta e eu conversando sobre fossa. Hora de voltar ao trabalho)

Talvez prevendo a sobrecarga nos seus sistemas, tanto o site do TSE quanto do TRE de Pernambuco estão, neste momento, fora do ar, me deixando na mão quanto aos resultados das eleições, tanto nas capitais quanto aqui. Ao menos eu tive a oportunidade de ouvir o rádio, e o atual prefeito se reelegeu com 75% dos votos válidos. Seria este o surgimento de uma nova oligarquia que não tem outro interesse a não ser perpertuar-se no poder?

* * *

Nordeste, em grande parte, em festa (tá, sempre fica a sensação de que podia ser coisa melhor, mas considerando o atual cenário...): Prefeitos do PT, PSB e PCdoB venceram em Fortaleza, Recife, João Pessoa e Aracaju. De uma maneira geral, todos eles estavam ligados a grupos que fizeram boas administrações em algum nível. Uma coisa é certa: o povão, que é quem realmente importa, agradece nestes locais.

* * *

UPDEITE IMPORTANTE: No segundo turno das eleições de Salvador, ACM Neto ficou de fora. O carlismo continua a morrer, para o bem do povo baiano.

3 de outubro de 2008

Now I Long For Yesterday...

Eu já tinha colocado essa música no meu antigo blog. Ela é a síntese, na minha opinião, da tagline do magnífico "Encontros e Desencontros", de Sofia Coppola: Everyone wants to be found. Normalmente eu não faria um post a respeito de um som antigo, mas volta e meia certas lembranças voltam para, dependendo da ótica, atormentar nossa paz ou corrigir os nossos passos. E também ouvi a versão do álbum Live in U.S.A., mais singela.

Recife, dois anos atrás... um estado de sono relaxado... paz, bem-estar... aquele par de olhos claros expressivos que pareciam engolir o mundo... o cabelo curto na altura do queixo...

Dove... Quando...
(Premiata Forneria Marconi)

Dove stai, dove sei,
Solo dentro me;
Cosa fai, come sei,
Solo come me.
Inventarti quà i là
È giocco vecchio oramai.
Bussa già
La freta di te.

Che farai, amore mio
Che sorriso avrai;
Dai tuoi sì, dai tuoi no
Cosa imparerò.
Princepessa serena
Del tempo che avvrò
Bussa già
La freta di te.

1 de outubro de 2008

Historinha Críptica

(Eu ando mais misterioso do que o normal ultimamente, mas por favor dêem um desconto. É a minha forma de expressão em situações difíceis)

Um belo dia, eu acordei e não sabia o que havia feito. Estava com a sensação de "que merda é essa que eu fiz?". E, como é comum nestes casos, o remorso bateu com tanta força em mim que me deixou jogado pra baixo e com cara de bunda durante muito tempo.

Eu ainda tentei relativizar, em minha própria arrogância dizendo que a merda que eu havia feito não era tão grande e fedorenta assim. Dessa forma, eu estava negando a minha capacidade de cometer erros. Até que funcionou durante algum tempo.

Mas aí uma iluminação fantasmagórica do passado apareceu para cobrar o seu quinhão. E os meus sentimentos de remorso só aumentaram exponencialmente a partir desse ponto. Não pude tomar outra decisão senão concordar com aquele feixe de luz que incidia sobre mim.

Finalmente tomei uma decisão que iria causar dor em mim e em outras pessoas que infelizmente foram envolvidas nos meus erros. Eu espero viver feliz para sempre ao fim desse conturbado processo.

30 de setembro de 2008

26 de setembro de 2008

Corrupção De Menores

Vendo minha pasta de MP3 aqui no PC, fiz uma constatação assustadora: não existe uma única banda de rock nacional moderna na lista.

Pode ser um pouco de ranzinzice minha, mas o fato é que não surgiu mais nenhuma banda de rock boa no Brasil nos últimos 2 ou 3 anos. O que, em termos de mercado fonográfico, me deixa gostando apenas de velharias, como Los Hermanos.

Enquanto isso, a atual geração de adolescentes de colégio embala suas festas ao som de NX Zero, CPM22 e outras bandas de nome telegráfico.

Pra mim, essa é a maior prova de que, 18 anos depois de sua entrada em vigor, o ECA não é respeitado e nossa juventude está exposta às drogas e outras substâncias que podem potencialmente causar danos às suas mentes.

Lamentável.

22 de setembro de 2008

Meio Calabresa, Meio Mozzarella

Equipe original da Satiagraha foi desmantelada

A equipe da Polícia Federal que fez o trabalho de inteligência na Operação Satiagraha foi desmantelada a partir do afastamento, em meados de julho passado, do delegado que comandava as investigações, Protógenes Queiroz.

Dois dos mais ativos investigadores da PF na Satiagraha logo abaixo do delegado, um escrivão e um agente de polícia, foram destacados para atuar na Operação Providência, desencadeada no último dia 11. Esses policiais --que poucos meses antes investigavam centenas de telefonemas e complexas operações financeiras envolvendo o banqueiro Daniel Dantas, o investidor Naji Nahas e executivos do grupo Opportunity-- passaram a vigiar barracos em favelas da periferia de São Bernardo do Campo (SP), atrás de supostos "laranjas" utilizados em fraudes contra a Previdência Social.

(...)Protógenes segue afastado da segunda etapa da Operação Satiagraha e não tem sido procurado pela PF para falar sobre a primeira fase das investigações. O delegado cumpriu parte do curso de formação na Academia de Polícia em Brasília e agora faz a segunda etapa, que não requer a presença física do aluno. Protógenes, oficialmente lotado na Diretoria de Inteligência Policial, em Brasília, não tem mais uma sala, telefone fixo ou computador em algum prédio da PF. Há um mês, enquanto fazia o curso em Brasília, suas coisas foram embaladas e colocadas num armário. Ele foi avisado pelo telefone.

* * *

Costa-Gavras está perdendo um argumento de roteiro ótimo. Humpf.

21 de setembro de 2008

Espaço Da Política

O autor deste blog, considerando que trata-se de um espaço pessoal, oficialmente apóia o candidato Draiton (PT-Articulação de Esquerda) a vereador nas próximas eleições na cidade de Arcoverde, Pernambuco. As razões que o levaram a tomar tal decisão residem no fato de o mesmo representar uma alternativa de voto progressista em um cenário marcado pela continuidade de um projeto político que corrói o poder popular legítimo e a participação das classes postas à margem da dignidade e cidadania.

19 de setembro de 2008

O Inédito Retorno

Raras vezes eu vi uma marca de automóveis que, por algum motivo, separou-se de sua matriz, retornar ao antigo controle acionário. Também raras vezes eu vi um negócio de tanto vulto ser feito em uma situação de crise, muito embora os preços dos papéis da empresa em questão provavelmente estivessem lá embaixo. E tão poucas vezes eu vi isso acontecer de uma maneira tão simbólica.

Mas isso tudo aconteceu, hoje.

A Porsche, fundada pelo doutor engenheiro Ferdinand Porsche, comprou a Volkswagen, também fundada pelo doutor engenheiro Ferdinand Porsche. Para quem não sabe, qualquer semelhança entre os superesportivos e o Fusca não é mera coincidência. Eles, os de Stuttgart, estão prontos para oferecer também uma oferta sobre a marca Audi, controlada por aqueles, os de Wolfsburg. Não custa nada sonhar com os frutos que esta parceria pode render.

17 de setembro de 2008

Arcoverde, Surpreendente

Eu nem pensava em escrever mais um post hoje, aliás é minha política escrever um post por dia (e, como muitos perceberam aqui, nem isso). Mas acho que uma situação específica me impressionou tanto hoje que merecia uma nova inserção.

Em Arcoverde, um dos bairros mais elitistas e tradicionais é o Sucupira. Onze entre cada dez médicos moram lá, e médico em cidade pequena é algo similar a Jesus Cristo, Maomé e Buda na Terra, parelho com os promotores e juízes. Mas o Sucupira também impressiona por algo que eu descobri depois do meu exílio forçado na terra natal, ocorrido há alguns anos.

O Sucupira tem uma concentração absurda de paranaenses, catarinenses e gaúchos. Eu não sei explicar exatamente porque, já que não há na região um grande histórico de negócios ligados a pessoas daqueles estados. Arcoverde não tem uma única indústria grande, o município é pequeno demais para ter uma produção agrícola expressiva (soja, então, nem pensar), e o comércio é dominado pelos locais. Sei que alguns deles estão ligados ao clero evangélico local, mas isso não justifica um êxodo tão grande para estas plagas.

Interessante é perceber que muitos deles já estão aculturados. Os descendentes, com certeza, ao menos. Cansei de ver aquelas pessoas loiríssimas dos olhos claros chegando na padaria dos meus pais, e, na hora de abrir a boca, ao invés do esperado "bah, guri" ou então "leitE quentE", sai o sotaque local. Chega a ser algo meio deslocado do contexto, como um filme surrealista no qual o ator, que está tocando sanfona em cima de uma bicicleta, produz um som de um burro zurrando.

No meu universo de sonhos, que já foi referenciado outras vezes neste e em blogs passados meus, esse bairro assemelha-se estranhamente àquelas casinhas de madeira em estilo nórdico, como se fossem um lata de biscoitos dinamarqueses. Eu sonhei com isso antes de perceber essa estranha concentração de pessoas de fora. Acho que meus sonhos moldaram a realidade...

P.S.: Este post todo foi motivado por uma menina em especial que eu vi hoje, loirona quase branco, olhos azuis, 1,75m de altura, mais ou menos 50 kg, mais ou menos 18-19 anos, corpo com tudo em cima, bronzeado digno de bronzeador Nivea importado da Alemanha. Falava sotaque local. Algum dos meus leitores arcoverdenses têm alguma idéia de quem seja? Porque eu mesmo nunca a vi mais gorda (ou melhor, mais sarada).

P.P.S.: Como percebe-se através desse último post-scriptum, eu estou a ponto de subir no poste e gritar "Io voglio una donna!". Ou melhor, "Ich will Eine Fraulein!".

Liberalismo E Liberalismo Americano

Como se sabe, a crise do subprime fez novas vítimas nos EUA e jogou diversas bolsas de valores (incluindo a de São Paulo) lá embaixo. Há quem diga que as coisas estão no mesmo nível do crack de 1929.

Eu vou deixar os comentários técnicos para quem entende do assunto. Por sinal, ele está dando show de bola e pode explicar melhor do que eu. Mas eu não posso deixar de dar meus dois tostões sobre o assunto, e vou fazê-lo de maneira bem sintética: liberalismo no rabo dos outros é refresco.

15 de setembro de 2008

Merda!

Rick Wright, tecladista do Pink Floyd, morreu hoje após uma batalha contra um câncer.

E, junto com ele, morreram todas as esperanças de ver o PF reunido.

Não preciso dizer o quanto estou amaldiçoando Gilmour (de quem Wright, segundo as más línguas, era a putinha) e Waters por sua briguinha de egos sem sentido. Custava fazer uma turnê de despedida, só umazinha?

13 de setembro de 2008

Doidos De Pedra























Esse está prometido pro Alasca


A governadora do Alasca e candidata do Partido Republicano à vice-presidência dos Estados Unidos, Sarah Palin, declarou em sua primeira entrevista após ser escolhida para a chapa de John McCain, que declararia guerra à Rússia caso esta realizasse novo ataque contra a Geórgia e caso a Geórgia entrasse na OTAN.

Obviamente, a sra. Palin nunca ouviu falar de uma coisinha que evitou esse tipo de confronto durante toda a Guerra Fria.

8 de setembro de 2008

Aberto Para Balanço

Quando eu me desiludo, normalmente eu fico numa ânsia tão grande de superar isso e dar a volta por cima que não raro eu perco o controle da situação e meto os pés pelas mãos. Mas também pode acontecer algo menos grave, como esquecer de tirar a moral da história. Pois então vamos lá:

- Há esperança para o mundo, sim. Ainda existe gente que balança a gente de uma forma legal, numa combinação de características que, acho, são semelhantes às melhores receitas. No meu caso, trata-se de independência, visão crítica de mundo misturada com idealismo e vontade de fazer algo útil, bom gosto cultural e fofura feminina, mas com uma pitada de blasé. A aparência? Sei lá, gira o gerador de probabilidades infinitas aí. Mas olhos claros e expressivos têm a preferência;

- Também é verdade que tem gente que é mais esperta que você em reconhecer o que existe de bom nas pessoas que coincidentemente você percebe que são o máximo, sensacionais, etc. Eles pegam as coisas rápido no ar e chegam primeiro. Ponto pra eles, mas custava aparecer uma situação assim pra mim?

- O mais triste de toda essa história: gente legal mora realmente longe. Sei lá, você pode morar em São Paulo, Rio de Janeiro, Paris, Nova Iorque, Moscou. Mas por algum motivo bizonho a pessoa mais legal que você conhece em determinado momento mora em Tóquio, Sydney, Berlim, Johannesburgo, Buenos Aires.

6 de setembro de 2008

O Outro Vetor No Binário

(Ok, retornando à vida normal depois do choque da dura realidade...)

Notícias de um diário venezuelano, clipadas pelos malucos do Defesa@Net, dão conta de que em novembro próximo o governo de Chávez receberá em seus portos uma força-tarefa anfíbia da marinha russa. Coincidentemente, a recém-criada IV Frota norte-americana passará por Colômbia e Panamá ao mesmo tempo. Parece ser mais um capítulo da novela (escrita mais pelo presidente venezuelano que por Dmitriy Medvedev) de amizade entre os dois países, com final incerto ainda.

Há quem diga que os neocons estejam pressionando a Rússia com o objetivo de, em algum momento, conseguir uma vitória militar sobre os mesmos, independente das conseqüências que isso poderá trazer para o resto do mundo. Já Chávez também parece estar disposto a ver o circo pegar fogo, muito embora eu ainda acredite (espero!) que ele esteja fazendo mise-en-scene para seus admiradores no seu país e na América Latina.

4 de setembro de 2008

Wonderful

(Josh Rouse)

Oftentimes I sit and wonder
As I gaze out over yonder
I'm so crazy about you
So crazy and it's true
I think you're wonderful
Don't change
I think you're wonderful
Don't change your way
I think you're wonderful
Don't change your way at all

It is the morning, love, you have found me
Reading the paper with my coffee
And before you must go
There's one thing you should know
I think you're wonderful
Don't change

I think you're wonderful
I think you're wonderful
I think you're wonderful
Don't change at all
At all
At all

* * *

Não.

Não aconteceu nada de mais.

Não por falta de vontade minha.

Acho também que não poderia exigir muito da situação.

Principalmente depois de um almoço, de sentarmos no chão da Livraria Cultura comentando livros, de olhar o pôr-do-sol do rio Capibaribe e do laguinho da UFPE, de um abraço e de um tchau enquanto ela subia no ônibus.

Por um momento, a vida pareceu perfeita como num sonho ou num filme.

29 de agosto de 2008

Tribos

O Ocidente branco é cultural e intelectualmente superior às sociedades tribais das Américas, África, Ásia e ilhas do Pacífico, então as superstições, fetiches e tabus destes povos são considerados atrasados e ridículos.

Por esse motivo são criadas as teorias da conspiração.

28 de agosto de 2008

O Caminho Inverso

Fato: nós sabemos quando uma subcelebridade, aqui no Brasil, chegou ao fundo do poço da decadência sem elegância quando ela começa a cantar músicas gospel, ou vira evangélica neopentecostal. Como se isso fosse apagar de vez tudo o que ela fez no passado, ainda mais em tempos de Youtube.

Aparentemente, a americana Katy Perry fez o contrário: começou como a pudica filha de um pastor evangélico que cantava gospel e hoje, aos 23 anos, causa polêmica com músicas nas quais ela dá um tabefe no ego de metrossexuais e emos, ou então contando uma atração por meninas após um beijo. Há quem goste, e também os que não gostam. Eu fui conferir pra emitir uma opinião.

O visual é legal. Eu gosto de pin-ups, embora a moça não seja exatamente deslumbrante de bonita. É do tipo normal, que você encontra na faculdade (pelo menos no meu antigo prédio da UFPE; minhas desculpas aos estudantes de engenharia). Musicalmente e fisicamente falando, ela me parece uma mistura de Joan Jett com mais finesse e Avril Lavigne com mais propósito. Interessante, mas não chega a empolgar.

Como eu disse, tem quem goste. De mim ela ganhou um sorriso de canto de boca, o que é positivo.

26 de agosto de 2008

Refresco

A Rússia reconheceu, hoje, a independência das regiões separatistas georgianas da Abkházia e Ossétia do Sul. Como era de se esperar, choveram protestos do mundo ocidental e de seus aliados, vendo a situação como um claro desrespeito ao direito internacional e à integridade territorial da Geórgia. Pessimistas (não por acaso realistas em termos de R.I.) dizem que este é só o começo da próxima temporada de tensões e ameaças partindo dos dois lados do Atlântico, restaurando de vez a Guerra Fria.

Ficando apenas no evento das regiões pró-Rússia da Geórgia e da região pró-ocidente da Sérvia (leia-se Kossovo) não deixa de ser interessante o quanto dois pesos e duas medidas vêm sendo aplicados, tornando o futuro do direito internacional sombrio pra dizer o mínimo. Separatismo no traseiro dos outros é refresco.

24 de agosto de 2008

Requiescat In Pace

















* 3/2/1914
+ 24/8/2008

:~(

22 de agosto de 2008

Não Tão Fiasco Assim

Eu não sabia, mas com a vitória de hoje o Brasil está a apenas uma medalha de superar o recorde do total conseguido em Atlanta, em 1996. Não vou ficar fazendo o jogo do quanto pior, melhor - o efeito que esportes vitoriosos em Olimpíadas tem na população em geral é mais que benéfico, é necessário -, mas ainda tem muito a ser feito para que outros esportes (não só o futebol) passem a ter uma visibilidade maior entre o grande público, motivando até mais prática esportiva de qualidade.

19 de agosto de 2008

Crônica De Um Fiasco Anunciado

O site do Comitê Olímpico Brasileiro foi atacado hoje de manhã por hackers, e pelo que eu pude perceber nas mensagens que deixaram, hackers menores de 18 e com viés, digamos... pagodeiro.

Que o desempenho do Brasil nestas Olimpíadas está sendo uma porcaria, isso qualquer um percebe. Mas com certeza quem fez o ataque à página do COB faria melhor se protestasse nas confederações desportivas pedindo a saída dos grupos políticos que se instalam lá, como se fossem feudos. Também ajuda se exigissem dos governantes uma melhor política esportiva, que ofereça melhores condições de treinos aos atletas, sejam eles profissionais ou amadores. Estes últimos, por sinal, precisam ser incentivados com, em muitos casos, a simples oferta de condições para praticar um determinado esporte, de maneira organizada.

Mas a "rebeldia sem calça" continua sendo a opção preferida de muitos "neztepaís".

18 de agosto de 2008

Novidades No Blogroll

Bonny-Ed, uma das tirinhas mais engraçadas que já li, agora está disponível via postagens no blogspot, e - graças! - o autor percebeu que tinha uma audiência grande fora da Itália. Ou seja, tirinhas também em inglês. Vale a pena dar uma olhada.

Ping!

Pink Floyd, banda considerada ícone do rock progressivo e com uma carreira que se expande pelos anos 60, 70 e 80 (ou alguém acredita que Roger Waters e David Gilmour separados fazem algo mais que punhetagem?), obviamente fizeram aquilo que toda banda de rock progressivo da época fez: contaram uma história através de música. Música longa. Mais precisamente, mais de 25 minutos com diversos movimentos, além de um longo interlúdio, introdução e conclusão com todo o experimentalismo possível para a eletrônica da fase inicial dos transístores.

A música é "Echoes", e pode ser encontrada no álbum "Meddle", de 1971. Originalmente ela ocupava todo o lado B do vinil, mas isso era coisa comum praqueles tempos. Ela também está no filme "Live At Pompeii", dividida em duas partes. É a minha música preferida, mas o que mais me chama a atenção são os "pings" tanto no início quanto no final.

E eu me perguntava: como, numa época pré-sintetizadores eletrônicos e digitais, os caras conseguiam fazer aquele som que parece um cristal vibrando, tão característico dos teclados da década de 80?

Eis que, pesquisando mais sobre o assunto, confirmo a minha idéia de que a engenharia eletrônica voltada para som é a mais complexa de todas. Danem-se computadores, radares e aceleradores de partículas: a síntese de som digital é extremamente complexa, e nos tempos de eletrônica básica as pessoas se desdobravam para produzir algo novo e interessante. No caso específico dos "pings", eles gravaram o som de um piano de cauda nas notas mais altas, passaram por uma distorção de guitarra e finalmente plugaram a saída num auto-falante giratório, que dá o efeito Doppler perceptível na experimentação bem sucedida feita por aqueles ingleses específicos.

Pink Floyd era conhecido aqui no Brasil, com um certo atraso creditável à ditadura e reserva de mercado fonográfico, como a banda que produzia sons "espaciais", uma vez que a ida ao espaço era realmente a vanguarda da tecnologia da época e a televisão exibia seriados no cosmos a torto e a direito. De minha parte, não conheço banda e música melhores para se ouvir ao ver um pôr-do-sol glorioso.

12 de agosto de 2008

Uh-Oh!







Está atrasado.


Frase do momento:

"If it looks like shit, smells like shit, and even feels like shit, why on hell I'd call it Chanel Numéro 5?".

* * *

Tem dois motivos para fazer um post com esse título e esse feeling, mas vamos nos ater ao segundo.

* * *

O fato é que, num belo dia, o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, acordou de ovo virado e decidiu acabar com a putaria que eram as forças de paz que a Rússia mantinha na Ossétia do Sul, com o objetivo de impedir que o exército da Geórgia reintegrasse a província na marra. O problema é que ninguém provoca o terceiro maior exército do mundo e sai da situação com um "elas-por-elas". Bastou uma campanha de 6 dias para que as forças armadas georgianas ficassem reduzidas a metal retorcido, e que o governo ficasse sem a Ossétia do Sul, a Abkházia, e com uma ameaça de reintegração forçada ao território russo.

Saakashvili foi vítima, aparentemente, de uma boca maior que o juízo, já que eu prefiro acreditar na hipótese de que ele imaginava que os EUA e a OTAN viessem a cavalo ajudá-lo no seu intento. Não deu certo e a Rússia está tocando o terror lá dentro. O problema é que, com a continuação e ampliação do conflito, parece que a coisa agora pode realmente envolver o "mundo livre ocidental". Aí o nosso querido Misha vai entrar pra história, de fato - como o cara que iniciou um conflito que devastou meio mundo. Ou ele inteiro.

10 de agosto de 2008

LCD, Verdades E Mitos

- Sim, LCD economiza uma energia filha da mãe. Desde que coloquei um monitor de 15" aqui em casa, o consumo de energia caiu drasticamente nos últimos meses. Isso porque, em grande parte, eu deixo o PC ligado o dia todo e só desligo antes de dormir, lá pelas 10h30, 11h da noite;

- Não, LCD não poupa a vista mais do que um monitor de tubo normal. O problema aparentemente não está na radiação emitida pelo CRT, mas na quantidade de luz emitida por qualquer tipo de monitor. Eu estou tendo de limitar meus horários de uso do computador para evitar que meus olhos fritem, e isso mesmo depois de colocar um padrão de cores mais escuro no Windows e no Linux. Por isso, cuidado.

8 de agosto de 2008

A Título De Bizarrice

Acho que não poderia ocorrer algo mais bizarro, a ponto de vir tirar a poeira do bom e velho blog. Mas hoje, acho que minha carência chegou aos píncaros do limite e começa a tornar-se secura mesmo.

Eu sempre fui conhecido por gostar de mulheres lindas, estranhas e inatingíveis. Hoje sonhei com uma menina que usava orelhinhas de elfa.

Melhor arranjar uma namorada logo.

19 de julho de 2008

Old MacDowell

Eu andava precisando mesmo desopilar um pouco minha memória. Não é fácil passar o tempo todo estudando pra concursos. Então resolvi que iria plantar uma horta de temperos aqui no quintal de casa. Pesquisei tudo, e parecia fácil no papel.

Parecia, e no papel. Não consegui carpir o terreno todo, mesmo com luvas grossas nas mãos. O resultado é que forçosamente mudei meus planos e vou ter de recorrer aos vasos mesmo.

15 de julho de 2008

Ainda Daniel Dantas

Os brasileiros sentiram nesta terça-feira o cheiro mais forte da pizza no forno: a equipe de delegados encarregada do caso, chefiada por Protógenes Queiroz, acaba de ser convenientemente afastada do caso Dantas-Nahas-Pitta para realizar um "curso de capacitação" obrigatório. Acho que está mais do que na cara que eles estavam incomodando muita gente.

É importante que tenhamos em mente duas coisas: a primeira é a de que a população não pode ficar simplesmente de mãos abanando em relação a tantos desmandos que põem em risco a integridade das instituições no Brasil, se é que as mesmas não merecem um abalo ou a completa destruição para que algo novo e melhor surja no lugar. A segunda é a de que, mesmo que tenham descaradamente favorecido o processo em prol do grupo de Dantas, a sua meteórica prisão é um indício de que os tempos neste país estão mudando. Fosse alguns anos atrás, Dantas estaria fazendo uma aparição sorridente na capa da revista Exame como um dos "notáveis" no mundo dos negócios do Brasil. Isto é, se isso já não ocorreu de fato.

11 de julho de 2008

Update

O empresário Eike Batista, aquele mesmo que levou um par de chifres de Luma de Oliveira com um bombeiro que ganha provavelmente um milésimo do que ele ganha em um mês, está sendo investigado pela Polícia Federal por irregularidades na operação de uma estrada de ferro e de uma jazida de ouro no Amapá.

Run to the hills.

Opportunity, Not The Mars Lander

Daniel Dantas conseguiu de novo. Depois de uma prisão-soltura-outra prisão, agora nós temos outra soltura proporcionada sem passar pela vara federal de São Paulo, ou pelo STJ. A impressão que se tem é de que o advogado do referido banqueiro, investidor e escroque só falta recorrer à própria providência divina caso as coisas dêm errado. Direto, sem intermediários.

Ok, vamos lá:

- Baseado em uma suposta "espetacularização" das prisões dos envolvidos nesta operação, e numa também suposta ausência de provas, o egrégio Gilmar Mendes concede diretamente um habeas corpus ao senhor Dantas e trupe. Oras, meritíssimo, a espetacularização das prisões é um problema da mídia no Brasil, e não da atuação do Judiciário federal ou da Polícia Federal. O processo foi corretíssimo, segundo a grande maioria dos juristas que manifestaram sua opinião. Além disso, nunca um ministro do STF disse sequer um ai contra a espetacularização feita nas prisões mostradas em programas como os do Datena, do Cardinot ou do Alborghetti. Reforça-se a idéia de que o STF, guardião da Constituição, funciona com dois pesos e duas medidas, dependendo da renda ou influência do cidadão em questão;

- Outro fator que corrobora a hipótese dos estamentos judiciários é a quebra do processo judiciário para o julgamento de habeas corpus, uma vez que deveria passar primeiro pelo juiz responsável pelo processo, para, em caso de indeferimento, ser encaminhado ao STJ e posteriormente, em caso de novo indeferimento, ao STF. Quantos cidadãos não dispõem de bons advogados e influência na justiça para conseguir tal feito?

- Terceiro, é visível o desespero de muitas pessoas nos mais altos escalões do governo, e que em algum momento tiveram contato com o senhor Dantas et caterva, por medo que o mesmo venha a, como se diz no popular, "jogar merda no ventilador". A insistência do ministro Gilmar Mendes em conceder sucessivos habeas corpus a alguém que tentou subornar um delegado da PF e que consequentemente tem capacidade de fazer o diabo com todas as evidências que possam incriminá-lo é, no mínimo, sintomática. Mais ainda quando se sabe que o mesmo requereu a investigação do juiz De Sanctis, responsável pelo processo que resultou na operação Satiagraha, pelo Conselho Nacional de Justiça.

- Em tempo: mais de 100 juízes assinaram um manifesto de apoio ao juiz De Sanctis e em agravo ao ministro Gilmar Mendes. O juiz De Sanctis é referido no manifesto como sendo "conceituado, respeitado" e que "tem que ter independência funcional para decidir com independência e sem receio.";

Parafraseando as palavras imortais de Shakespeare em sua opus maxima, "Há algo de podre neste Reino da Dinamarca".

9 de julho de 2008

A Menina Sem Nome

Da V-Otakupedia, a minha enciclopédia pessoal otaku.

A Menina Sem Nome é uma entidade que desde que voltei para Arcoverde, aparece como um punctum no mangá de minha existência. Desde cerca de maio ou abril do ano passado, ocorrem encontros recorrentes na rua ou no meu local de trabalho efetivo (i.e., a padaria dos meus pais), sem no entanto que haja uma troca de palavras ou uma mudança na mesma expressão monotônica de seu humor. Entra na classificação de frozen beauty, embora não seja exatamente tão beauty assim.

No entanto, segue chamando a atenção. Ainda mais agora que tive a certeza que ela não é um bot e ela demonstrou uma emoção: mais precisamente um sorriso de satisfação por um serviço prestado por mim. O resultado é que eu agora quero transformá-la de menina sem nome para menina muito bem conhecida.

5 de julho de 2008

Seja Proativo! E Outros Clichês

O que a necessidade não faz... Embasbacado com a quantidade e dificuldade de questões de marketing existentes na seleção de jornalistas da Petrobrás, procurei saber o máximo de coisas possível sobre o assunto, e cheguei ao cúmulo de me matricular em um mini-curso de marketing na associação comercial local. O inocente aqui achou até que poderia ser um curso normal, com professores normais.

Quando eu chego lá, vejo um daqueles gurus de Administração de Empresas, cheio de frases de efeito, dinâmicas de grupo engraçadinhas e anúncios de felicidade a qualquer custo. Ninguém é perfeito e eu estou precisando mesmo aprender o negócio, então respirei fundo e aguentei uma semana inteira disso. O cara até que não ensinava tão mal assim. Pra falar a verdade, ele conhecia bastante sobre o assunto, verdade seja dita.

Mas aí, no final do curso, ele me sai com esta, quando fui cumprimentá-lo e me despedir:

- Não desperdice seus conhecimentos na área pública. Monte um negócio próprio pra você, e não caia nessa ilusão de emprego pra sempre. Ah, e faça essa barba.

E ainda me perguntam porque não fiz Administração na faculdade...

30 de junho de 2008

Novo Linux

Parece que consegui "consolidar" a nova versão do Linux que atualizei a partir da antiga. Trata-se da 8.04 do Xubuntu, que está mais bonitinha e simpática, e com visual mais clean. Eu ainda estou tendo alguns problemas, volta e meia, com a interface gráfica utilizada por ele (longo parênteses: a interface gráfica usada pela maioria das distribuições Linux e Unix, a X, ainda é uma das coisas mais problemáticas que existe. Ele ainda não consegue trabalhar bem com monitores e placas de vídeo, e volta e meia necessita de uma reconfiguração. Mas ao que me consta as coisas já foram bem piores antigamente), mas de qualquer jeito o sistema ainda mantêm um ótimo potencial. Espero que a comunidade continue trabalhando nele.

27 de junho de 2008

O Jogo Perigoso de Robert Mugabe

Como um bocado de gente aqui sabe, muito provavelmente buzinado pela grande mídia internacional, o concorrente ao segundo turno das eleições presidenciais no Zimbábue, Morgan Tsvangirai, deixou o pleito em meio a uma onda de violência provocada pelas forças governamentais, a poucos dias das eleições. O atual presidente e candidato à reeleição, Robert Mugabe, manterá a votação deste final de semana, mesmo sabendo que é o único candidato.

Mugabe está no poder desde a efetiva libertação do país, em 1982. Anteriormente conhecido como Rodésia, o Zimbábue foi governado de 1965 a 1979 por um governo de supremacia branca semelhante ao apartheid sul-africano, condenado pela Inglaterra (que ainda via a Rodésia como sua colônia) e pela maioria negra do país, que se juntou em diversos movimentos de resistência armada, sendo o mais importante o Zanu-PF, liderado pelo anteriormente citado.

Após um período de transição e a efetiva tomada do poder, Mugabe instaurou um governo controverso que ganhou a rejeição da URSS (ainda que se dizendo "de esquerda"), mas conseguiu o apoio da China e da Coréia do Norte. De lá pra cá, Mugabe vem se reelegendo em pleitos "democráticos" e sufocado toda e qualquer iniciativa de oposição. O caso mais recente foi agora, e tudo indica que alguma manobra política conseguirá garantir a validade da eleição, mesmo que a maioria dos votantes anule a sua cédula.

Eis um dos casos que mais torcem a minha cabeça em Relações Internacionais. É evidente que Mugabe é um canalha, mas daí a justificar uma intervenção externa vai um longo caminho. Acho que ninguém aqui é inocente de acreditar que uma campanha militar liderada por quem quer que seja vai melhorar a situação dos zimbabuenses, até porque o principal candidato a tal medida, o Ocidente, é responsável em grande medida pela desgraça humanitária que hoje é o continente africano.

Mas fica a pergunta no ar: é justo que algum país realize um movimento bélico com o intuito de retirar Mugabe do poder? Ou se estourar uma revolução no país para removê-lo do palácio presidencial, é justo que alguma nação envie armas caso seja contatado?

19 de junho de 2008

Perdendo O Contato (E A Noção)

Oficialmente, o São João de Arcoverde começa hoje. Zé Ramalho, ou melhor, o seu cadáver, fará o show de abertura.

Impressionante o quanto centenas, talvez milhares de turistas ainda afloram a esta cidade atraídos por um mito espalhado pelo Cordel do Fogo Encantado. Imagino a decepção de diversos pastiches neohippies que afloram a esta cidade e vão bater os bairros mais pobres da cidade, na ilusão de encontrar camponeses chapando coco nas ruas, com direito a sandálias de couro, roupas de chita e chapéus de palha. Uma espécie de celebração armorial da colheita e da fertilidade, as fogueiras de Beltane sendo descritas por Ariano Suassuna.

Não.

O que eles encontram são pessoas razoavelmente normais, cheias de problemas, causando barracos e se amando como qualquer um em qualquer bairro de periferia. Ao invés de roupas de chita e chapéus de palha, um abadá de micareta e um boné onde se lê "Auto Peças Roda 4". Ao invés de doses saudáveis de cachaça de cabeça com legítimo mel de abelha aripuá, a industrializada Pitú (vendida em lata) é bebida até o coma alcoólico. Ao invés do coco chapado e cadenciado, o heavy metal cearense que insistem em chamar de forró (quando não "Os Ninjas do Arrocha"). Ao invés da celebração da colheita, uma desculpa para arranjar sexo fácil.

Para desespero dos armoriais, não se fazem mais pobres como antigamente. Ou então os mesmos acompanharam as mudanças do tempo e deixaram os nossos visitantes para trás.

17 de junho de 2008

Retirando a Poeira

Tá, eu sei que sou um puto em deixar meus blogs dias a fio sem uma única atualização. Os outros 3 blogs antigos que o digam. Mas eu sempre volto. Ou não.

* * *

E quem diria, a Matemática e seus diversos ramos ainda iriam me dar uma chance de salvar minha pele da vagabundagem, e em grande estilo. Os deuses devem estar loucos, ou pelo menos rindo da minha cara.

O Ministério da Fazenda encaminhou um pedido aos seus compadres do Planejamento para realização de um concurso para auditores fiscais. A previsão é de mil vagas, mas até 2012 é possível que mais mil sejam chamados.

Eu comecei a estudar agora em junho para o bendito concurso. Até aí beleza, mas a matéria era algo de fazer qualquer jornalista cair pra trás: muita Matemática Financeira, Estatística Básica, e Contabilidade Geral. Somatórios, juros, descontos, cálculo de financiamento, logaritmos neperianos, funções estatísticas, símbolos bizarros, números, números, números.

Desesperador. Mas aí eu vejo o salário com todos os adicionais (15 mil), a possibilidade de trabalhar no serviço público em um escalão mais alto (e com todo o poder decisório que isso implica) e a enorme ajuda que meu pai está dando para entender o assunto.

Aí eu tenho forças para respirar fundo, encarar e em alguns casos até gostar de algumas partes do assunto. Aí o lápis e a borracha trabalham em cima dos cadernos.

17 de maio de 2008

Cuca Fresca

Minha definição de Plano B:

- O primeiro passo é arranjar uma fonte de renda estável para me sustentar, já que até meus pais reconhecem que já chegou a hora de arranjar uma grana para ao menos sair de casa. Uma resposta para este problema diz respeito aos 7 concursos para jornalista que devem rolar nos próximos 6 a 12 meses. Além disso, ainda existe a possibilidade de convocação para o concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Considerando todas as possibilidades, e o quanto eu estou estudando, ainda tenho boas chances de sair com a carteira assinada nos próximos meses;

- Com este plano em mente, o Inst. Rio Branco passa a segundo plano, até porque depois de tanta surra nos últimos 4 anos, muito do conhecimento já foi interiorizado. A rotina de estudos pode diminuir por se tratar de uma grande revisão, passando para 3 horas diárias, com uma ênfase especial em aspectos de redação, o que me tirou no concurso deste ano;

- Em caso de não-aprovação em 2009, até porque existe uma possibilidade de as vagas reduzirem mais uma vez, entra em ação o plano C, e um possível plano C1: considerando uma possibilidade de aprovação em concurso público, para qualquer cidade que eu vá vou ter acesso a um razoável programa de pós-graduação. Me engajo, de início, em pesquisa livre e voluntária com algum professor e faço alguma seleção de mestrado em Ciência Política ou Comunicação Social. Considerando aprovação, pesquisa bem sucedida e manutenção do cargo público (e quem sabe até juntando um dinheirinho), nisso vão se passar uns 3 anos. Com a experiência de trabalho comprovada, uma boa nota no IELTS ou no DELF e agindo rápido antes dos 29 anos, fico elegível para imigração qualificada para a Austrália ou o Canadá (no caso do último, mais especificamente Québec).

Se me esforçar, dá pra conseguir um ou outro objetivo acima.

13 de maio de 2008

Ao Menos Isso

Pra não dizer que não consegui nada de bom esses dias, hoje tirei minha habilitação. O Detran vai entregá-la em um mês.

Pelo menos estou mais perto do meu sonho de ter um Opalão 250-S a álcool...

6 de maio de 2008

Will Work For Food

Com 30 pontos, fiquei com metade dos pontos faltando para a nota de corte na segunda fase do Inst. Rio Branco deste ano.

Vamos aos fatos:

- Eu não tenho experiência acadêmica. Não tenho artigos publicados, atividades de pesquisa, somente minha monografia. Um mestrado, nestes termos, está fora de cogitação;

- Eu não tenho experiência profissional. Ao sair da faculdade, decidi que iria tentar o Rio Branco e larguei toda possibilidade de experiência que poderia adquirir como trainee.

Ou seja, estou fudido.

28 de abril de 2008

Je Vous Émmene Mes Souvenirs, Cumpanhêro

Enquanto o Hermenauta publica, e com razão, os feitos do atual presidente em termos de popularidade em tempos de cartão corporativo e dossiê na Casa Civil, um certo presidente europeu anda às voltas com sua popularidade chez lui. Do Libération:

"Pesquisa: Sarkozy bate récorde de opiniões negativas

Segundo uma sondagem do BVA (instituto de pesquisas local) realizada antes de sua aparição televisiva, o presidente obteve em abril 64% de avaliações negativas (acréscimo de 9% em relação à pesquisa anterior). É a rejeição "mais elevada já registrada" pelo instituto desde a criação de seu índice de aprovação para o Executivo em 1981"

Acordo armamentista? Parceria entre União Européia e Mercosul? Busca de áreas de influência para uma possível expansão do imperialismo francês?

Nada disso. Sarkô anda mais interessado em aprender o segredo da popularidade de M. Lulá.

23 de abril de 2008

Não Acredito!

Consegui! Consegui instalar o Xubuntu e resolver todos os bugs de instalação e a maioria dos de configuração!

Mas o pior de tudo foi depois perceber o que eu tinha instalado. A plataforma Linux é extremamente estável (em termos), libera uma memória filha da mãe do seu PC, deixa tudo rodando redondinho, os programas iniciam com a velocidade do seu pensamento.

Entrentanto, é um ótimo sistema pra aplicações profissionais. Não é ainda suficientemente bom para se lidar com ele no dia a dia.

Talvez a solução ideal seja usar o Windows (afinal de contas, em muitos computadores ele já vem com uma versão OEM) e depois instalar as aplicações mais comuns que são utilizadas no Linux, tipo o OpenOffice. Não é um choque tão grande e você continua usando software não-pirata.

15 de abril de 2008

Raios, Raios Duplos

Pra começo de história, a minha auto-escola não marcou o meu exame de direção que deveria ter sido hoje, e que agora vai ficar pra maio. O motivo? Me disseram que a taxa de reteste (lembram, eu não fiz a avaliação de março) deveria ser paga no dia da prova, só que quando eu chego lá, me dizem que a bendita taxa deveria ter sido paga antes. Maravilha de empresa.

Segundo, quase perdi meu HD com uma partição errada feita na hora de instalar o Linux, mais precisamente o Xubuntu (um Ubuntu usando uma GUI tipo Xfce, simples e bonita). Antes disso, ele estava funcionando aos trancos e barrancos, provavelmente por alguma besteira que eu fiz na hora de instalá-lo. Fiquei com raiva, apaguei tudo do Xubuntu pra depois reparar o boot do Windows, e amaldiçoei Linus Thorvalds.

Obviamente com a cabeça mais fria pensei que poderia ter sido mais leniente com o programa. Enquanto estava rodando, de fato a interface era simples e fácil de usar, os programas eram leves e não tinham grandes diferenças quanto ao Windows que eu uso. Mas acho que vou estudar um pouco mais sobre Linux antes de me aventurar mais.

10 de abril de 2008

A Carne É Fraca

Eu estava me martirizando semana passada por não ter escrito algo decentemente neste blog, embora eu pudesse usar a desculpa de estar apreensivo quanto à segunda fase do Inst. Rio Branco pra livrar minha barra. Só que o buraco é mais embaixo.

Eu já estava me sentindo podrão fisicamente, com falta de ânimo, dormindo demais, mal tocando nos livros, até que a bomba estourou na noite de sábado para domingo: gripe, e daquelas que te deixam completamente moído. Eu me recuperei mais agora, mas continuo meio grogue.

Então, senhores leitores (se é que ainda existe algum), tenham paciência com este pobre mortal que briga contra a própria condição para tentar escrever algum texto bom para o seu deleite...

7 de abril de 2008

Na Falta De Papo Cabeça...

Aceitem a seguinte sugestão:

XXXX diz:
a essa hora na net

XXXX diz:
ta fazendo o q?

Você diz:
tou esperando

XXXX diz:
quem?

Você diz:
Godot

25 de março de 2008

Here Comes Your Man

Aprovação na primeira fase do IRBr. A pior parte já foi e o concurso de verdade começa agora. Mais precisamente no domingo, quando acontece a segunda fase.

24 de março de 2008

Marcas Atingidas

No Le Monde, hoje:

"4000 soldados americanos foram mortos no Iraque desde 20 de março de 2003

Depois da morte de 4 soldados após um ataque em Bagdá, o número de militares americanos mortos desde o início da guerra no Iraque atingiu, no domingo, 23 de março, a marca simbólica de 4 mil mortos, 5 anos após o início da intervenção dos Estados Unidos no país."

O governante em exercício de lá de cima continua com apoio da população mesmo depois de 4 mil mortos. Nos tempos do Vietnã, a essa altura do campeonato, já tinha gente lotando Washington.

Eu desisto de entender o país e resto meu caso.

20 de março de 2008

PFM

bussa già/la fretta di te...

19 de março de 2008

Derrotando Um Império
























No ano em que se completa 40 anos da Ofensiva do Tet, quando os americanos realmente sentiram o peso dos vietnamitas, vale a pena dar uma boa olhada nesta entrevista concedida por um de seus principais artífices, o general Vo Nguyen Giap. A entrevista é de 1996, mas sempre é interessante principalmente em face dos últimos acontecimentos no Iraque. O melhor trecho, na minha opinião, é:

An 18-year-old girl once said that she followed routes every day and studied the patterns of American flights and when they would attack. I told her that she is a philosopher to understand that, because only philosophers talk about principles. Later she used small gun to shoot down an aircraft from a mountainside.

17 de março de 2008

Aula De Lógica

Modelo de inferência:

Se A, então B.

Modelo de inferência estilo Olavo de Carvalho:

Se A, então a culpa é dos comunistas e do Foro de São Paulo.

Modelo de inferência estilo Reinaldo Azevedo:

Se A, então a culpa NÃO é do PSDB.

Modelo de inferência estilo Diogo Mainardi:

Se A, então o Brasil é uma merda.

Modelo de inferência estilo OAB/SP:

Se A, então cansei!

Modelo de inferência estilo Josef Stalin:

Se A, então você é um inimigo do povo.

Modelo de inferência estilo Pol Pot:

Se A, então considere-se morto.


Modelo de inferência estilo ditadura latinoamericana:

Se A, então cadê aquele militante político que estava aqui?

Modelo de inferência estilo Mao Tsé-Tung:

Se A, então você é um revisionista!

15 de março de 2008

Chuck Norris Dos Anos 40

Um aspecto meio mórbido de minha personalidade diz respeito ao fato de gostar de saber sobre armas e táticas/estratégias de combate, embora eu não me sinta bem manejando as mesmas e ter plena consciência de que um campo de batalha não é exatamente um dos lugares mais salutares pra se estar. Mas o mesmo não se aplica tanto sobre armas brancas, e hoje eu estava lendo sobre um tipo de arma muito usada na Escócia do período medieval: a claymore, uma enorme e pesada espada cruciforme, tendo em média 1,40 m de comprimento e pesando 2,5 kg. Suas versões modernas (armas de infantaria usadas em combate corpo-a-corpo nos séculos XVIII e XIX), no entanto, tinham guarda e empunhadura semelhantes a um sabre esportivo moderno, além de serem menores e mais leves.

O último uso moderno conhecido destas claymores modernas foi por um certo Jack Churchill, oficial do exército inglês que serviu no teatro de operações da Europa durante a Segunda Guerra Mundial. A ficha corrida do sujeito é de impressionar: nascido na então colônia da Coroa de Hong Kong, serviu em um regimento real na Birmânia antes de completar 18 anos. Depois, viveu de bicos em filmes, fazendo papéis de suporte como gaiteiro de foles e arqueiro. Ao estourar a Guerra na Europa, alistou-se novamente, e chegou a participar da desastrosa retirada de Dunquerque. Foi então que ele resolveu se alistar em uma modalidade nova de treinamento de infantaria: só porque o treinamento parecia perigoso, resolveu ser voluntário nas primeiras turmas de commandos do exército inglês.

Churchill era conhecido por sua valentia em combate e por sua estranha preferência por arcos e flechas e a bendita claymore moderna, ao invés de fuzis e submetralhadoras. Foi condecorado diversas vezes por valentia, participando de batalhas na França, Noruega, Itália (em Salerno, capturou uma sentinela com a ajuda de um cabo armado apenas com um fuzil e forçou 3 pelotões e uma seção de morteiro a se render). Na Iugoslávia, ao auxiliar uma companhia de partisans comunistas a capturar uma guarnição nazista, avançou contra os inimigos apenas tocando uma gaita de foles. Foi capturado, é certo, mas isso não o impediu de continuar aprontando.

Depois de ser brutalmente torturado em Berlim, o nosso valente soldado é enviado ao campo de concentração de Sachsenhausen, mas as grades não seriam suficientes para segurá-lo: termina fugindo junto com um oficial da Força Aérea Real e só seriam recapturados a poucas milhas do Báltico, nas proximidades de Rostock, e da provável liberdade na Suécia. É mandado para Niederdorf, Áustria, de onde viria a fugir novamente no final da guerra e seria reintegrado ao front na Itália.

Terminado o conflito, Churchill torna-se instrutor militar na Austrália, onde conheceria algo que o ocuparia durante muito tempo no restante de sua vida militar, e além: o surfe. Sim, mesmo com seus 50 ou 60 anos, o dito cujo ainda arranjou tempo pra aprender a surfar, aprender a dar o shape de pranchas de surfe, e ser o primeiro a surfar na "pororoca" do rio Severn, na Inglaterra. Morreu em 96, aos 84 anos de idade, vividos com certeza intensamente.

Esse, com certeza, não ficou "com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar".

P.S.: Duvida? Então saca só esse outro link aqui.

12 de março de 2008

De Volta, Mais Uma Vez

O quê, vocês realmente acham que eu vou publicar minha nota do Rio Branco aqui antes de sair o resultado oficial? Nem a pau!

* * *

Impressionante o quanto os geradores de texto hoje em dia estão ficando mais próximos da realidade (ou a realidade está ficando mais próxima de um gerador de texto, enfim, chacun à son gout). Vejam a música do Humberto Gessinger que eu fiz em homenagem a um colega meu:

Atrás de um chute

Não importa se só péla
o que não tem importância
O Bululu já sabe
Somos um passarinho sem infância
Atrás de um chute
Atrás de um Buíque
Depois de um trago
Eu trago um punk
E molho a bunda
E moldo a baleia
Você é balofa
sua mãe é balofa
que importa um trago

Bis

Atrás de um chute
Atrás de um Buíque
Para comer
Para beber
Para coisar e fazer estrago
Depois de um trago .

E não deixa de ficar muito parecida com as originais.

7 de março de 2008

Hora do Combate




























Amanhã eu embarco pra Recife, pra fazer a bendita prova do Inst. Rio Branco. Este ano é pra valer, e eu acredito que minha postura em relação ao teste deve ter um pouco mais de empáfia e coragem.

A haka é uma dança tradicional dos maoris neozelandeses, normalmente associada a cantos de guerra, mas também utilizada em boas vindas amigáveis (!) por exemplo. É marcada por seus gritos assustadores e movimentos ameaçadores das mãos, bem como pela expressão raivosa de quem a executa.

Esta, transcrita abaixo e com uma tradução livre para o português, é a "Ka Mate", a tradicional do time de rugby da Nova Zelândia, seguramente um dos melhores do mundo. É de praxe neste esporte, ao enfrentar os All Blacks, que se ouça atentamente e com coragem à música antes de cada jogo. Quem ignorou até hoje nunca conseguiu vencer um jogo contra eles.

Ka mate, ka mate,
Ka ora, ka ora,
Ka mate, ka mate,
Ka ora, ka ora!

Tenei te tangata puhuruhuru
Nana i tiki mai whakawhiti te ra!
Upane... Upane
Upane kaupane
Whiti te ra!!!

Tradução:

É a morte, é a morte,
É a vida, é a vida,
É a morte, é a morte,
É a vida, é a vida,

Eis o homem cabeludo
Que fez com que o sol nascesse de novo para mim!
Acima das escadas, acima das escadas
Lá em cima
O sol brilha de novo!

* * *

Vídeos do time executando a dança podem ser executados no Youtube. Aliás, eu queria encontrar uma foto de um movimento deles que parece que estão "dando uma banana", mas não encontrei. Infelizmente.

3 de março de 2008

Smells Like Shit Spirit

Os jornais falam por si só, mas eu tenho de dar meus dois tostões de opinião: vai feder, mas não tanto quanto muita gente gostaria.

Ah, coisas interessantes sobre o assunto dentro da comunidade de "wannabe-diplomats" desse país. A próxima geração promete...

"[Desmerecendo uma argumentação contrária à incursão colombiana baseada no direito internacional, dando como exemplo o conflito árabe-israelense] Seria interessante se voce morasse numa cidade Israelense e se caisse um foguete na tua casa e matasse a tua familia e voce disesse. Nao podemos fazer nada por que alguem na comunidade coisas da diplomacia cheio da verdade acha que uma retaliacao nossa violaria o direito internacional. Sinceramente...."

"[Ressuscitando a hipótese FORO DE SÃO PAULO] O stabilishment acadêmico e midiático está morrendo de medo de ter que admitir - mesmo em hipótese - que o Olavo pode estar certo quando fala do Foro de São Paulo....."

E o show de horrores continua aqui.

1 de março de 2008

Pra Começar Bem Março

Ontem foi dia de chuva pesada aqui na região. E hoje de manhã pude conferir os frutos dessa semana de aguaceiros quando acompanhei minha avó a uma feira aqui próximo, na cidade vizinha de Buíque (danôsse!): uma profusão de frutas de época, vegetais, até mesmo alguns peixes. Com os legumes e frutas a gente nem se incomoda tanto. Afinal de contas, em todo o lugar é assim, mas é meio complicado confiar no peixeiro que escama o seu produto diretamente nos bancos e sem nenhum traço de gelo ou de proteção contra as moscas.

Fora isso, "são as águas de março fechando o verão, e a promessa de vida no meu coração".

* * *

Tem blog novo na área. Trata-se do Fábrica de Sonhos, da senhorita Ana Rebel. Também conhecida como dawn outrora. Ela sabe sonhar como ninguém, e eu digo isso por experiência própria. Nada mais justo que compartilhar com o mundo os sonhos dela. Este blogueiro e este inocente menino do interior agradecem.

* * *

O outro é do meu amigo Carlos Peres. Esse é carioca também (e tricolor carioca doente), mas radicado já há algum tempo em Recife. Tive muito orgulho de compartilhar com ele os bancos de faculdade, e ele também está se saindo um pesquisador de primeira na área de Comunicação. Ganha com isso a carentíssima comunidade científica do ramo e os profissionais, que necessitam de vez em quando de ótimos textos para balizarem o que vão escrever no dia seguinte. Por isso, não tenham dúvidas em acessar o Agenda Pública.

29 de fevereiro de 2008

Inusitado.

Oras.

E não é que é uma das parcerias mais inusitadas do ano, segundo alguns blogueiros famosos? (isso porque 2008 mal começou)

Isso porque, pelo que eu entendi, um já tinha falado mal do outro por mostrar o traseiro em público, e por aí vai.

Enfim.

Coisas que só a ideologia é capaz de fazer.

* * *

Eu estava louco pra achar uma charge que o Angeli fez de si mesmo com a cabeça girando em torno de um centro. Alguém sabe qual é?

27 de fevereiro de 2008

Coisa De Doido

Hoje foi minha primeira aula prática de direção "na vera", ou seja, dirigindo no trânsito propriamente dito.

A conclusão a que eu cheguei é que, de fato, trânsito é uma coisa de louco. Especialmente quando a gente começa a pensar como motorista.

É uma condição dual: por outro lado, você fica com raiva dos ciclistas que não circulam onde deveriam, ou seja, no acostamento e no sentido inverso ao dos carros. A todo o tempo se tem a impressão de que . Por outro lado, você morre de medo dos caminhões e ônibus que circulam "senhores da estrada" próximos ao seu carro, ainda mais quando eles estão próximos a entrar na sua faixa vindos de outra rua, e isso praticamente "chutados".

Agora é possível entender porque o trânsito é uma fonte tão grande de stress: eu estou com os ombros duros, os braços e pescoço doloridos, uma sensação estranha de aperto no coração. Isso considerando que Arcoverde é uma cidadezinha de uns 70 mil habitantes. Mas talvez seja também por isso que a quantidade de perigos reais seja maior: as pessoas atravessam a rua fora das faixas de trânsito, não existem faixas suficientes, carroças e charretes andam em grande quantidade, a sinalização da via e dos carros é deficiente, buracos e acostamento em desnível são abundantes...

Se passar no Rio Branco, dirigir nos eixões perto disso deve ser fichinha.

22 de fevereiro de 2008

Atlas

Pouco mais de duas semanas até a primeira fase do Rio Branco.

Sinto como se tivesse o mundo nas costas.

* * *

Nada é o que parece. De repente o mundo dá um jeitinho de surpreender a gente.

21 de fevereiro de 2008

I'm So Tired

(The Beatles, ou melhor, só Beatles, já que foi depois da morte de Paul McCartney)

I'm so tired, I haven't slept a wink
I'm so tired, my mind is on the blink
I wonder should I get up and fix myself a drink
No,no,no.

I'm so tired I don't know what to do
I'm so tired my mind is set on you
I wonder should I call you but I know what you would do

You'd say I'm putting you on
But it's no joke, it's doing me harm
You know I can't sleep, I can't stop my brain
You know it's three weeks, I'm going insane
You know I'd give you everything I've got
for a little peace of mind

I'm so tired, I'm feeling so upset
Although I'm so tired I'll have another cigarette
And curse Sir Walter Raleigh
He was such a stupid get.

You'd say I'm putting you on
But it's no joke, it's doing me harm
You know I can't sleep, I can't stop my brain
You know it's three weeks, I'm going insane
You know I'd give you everything I've got
for a little peace of mind
I'd give you everything I've got for a little peace of mind
I'd give you everything I've got for a little peace of mind

19 de fevereiro de 2008

Uma Nova Fase (2)

O homem largou o osso.

Fidel já estava caindo pelas taperas mesmo. Fraco, doente, não tinha mais como aguentar a barra de governar um país quase sem recursos e com pressão dos norte-americanos praticamente irredutível, ainda mais considerando-se o governo neocon ora no poder por aquelas paragens. Cansa até um sujeito novo, quanto mais um velhinho na casa dos 80 anos (em tempo: não que isso signifique que eu quero criar uma imagem de "vovô Fidel").

Situações duras terminam levando a decisões duras, na verdade duríssimas. Fidel aumentou a repressão a dissidentes políticos, como se ela fosse menos branda antes, mas ainda assim compreensível (que remédio!). Caças MiG-29 derrubaram aviões civis de missionários americanos em atividade no país. Chegou-se a uma situação na qual Cuba perdeu grande parte da simpatia de muitos movimentos de esquerda ao redor do mundo, principalmente na Europa.

O irmão, o tal do Raul Castro, dizem que não é exatamente flor que se cheire no que diz respeito a direitos humanos. Mas pode iniciar uma abertura ao menos econômica no lugar, e desta forma atrair a atenção de mais gente que nós, da América Latina. O mercado consumidor não é lá essas coisas, mas a ilha possui recém-descobertos campos petrolíferos e um capital humano de dar inveja a qualquer país latino-americano.

Cuba continua sendo um país que fez este subcontinente viajar, seja em qualquer ideologia. Isso, porque foi o primeiro país do continente a provar que poderia ter um relativo grau de independência em relação aos EUA. No fundo, no fundo, isso é o objetivo de todo o espectro ideológico deste rincão do mundo.

18 de fevereiro de 2008

Uma Nova Fase













Tardou, mas comecei a escutar o álbum mais recente do Nightwish, "Dark Passion Play". É o primeiro álbum da banda após a saída de Tarja Turunen, e depois da entrada da nova vocalista, a sueca Anette Olzon. Todos os olhares estavam voltados pra coitada, não preciso nem dizer.

Duas coisas:

1) É muito provável que o Nightwish tenha ganho muito mais que perdido com a entrada de Anette. Seus vocais são maduros, confiantes, e ao mesmo tempo simples e compreensíveis para o público em geral. Depois de ouvir, tenho a impressão de que Tarja estava mesmo virando a bruxa malvada do oeste e que Anette é uma mãe cantando pra você dormir;

2) Agora, que a coitada é estranha de doer, isso é.

15 de fevereiro de 2008

Io Voglio Una Donna!

Dia desses eu estava falando com um colega meu sobre solteirice e me lembrei imediatamente de um filme francês (do qual não me recordo o nome) que falava sobre os movimentos de maio de 1968 naquele país. Obviamente também falava da liberação sexual da juventude na época, e em uma das cenas um personagem italiano, estudante de intercâmbio na Sorbonne, sobe em uma escultura existente no pátio da universidade e começa a gritar "Io voglio una donna! Io voglio una donna!", para diversão dos colegas que estão lá embaixo.

Não demora a chegar um bedel chato que pergunta o que o dito cujo estava gritando lá de cima (o bedel era francês e não entendia italiano), ao que o estudante responde:

- Eu quero uma mulher. Que há de mal nisso?

E o tal bedel começa a dar uma lição de moral mais chata do que o seu próprio caráter, lição essa que é prontamente ignorada pelo tal estudante, que sai andando junto com a sua turma rindo da situação e soltando de vez em quando um outro "io voglio una donna".

Acho que eu conheço umas duas ou três pessoas que estão chegando nessa situação.

13 de fevereiro de 2008

Fora Da Cadência



























Essa semana, Lula e o presidente francês, Nicolas Sarkozy (também conhecido como o Collor do Champs Elysées) encontraram-se na fronteira da Guiana Francesa com o Amapá. O status da Guiana Francesa é a de um departamento, ou província, daquela nação, o que faz com que ela seja uma fronteira entre a União Européia e o Mercosul. Na pauta do encontro, integração regional, ações conjuntas contra as FARC e, principalmente, a possível venda de armas e uma aliança militar entre nós e os franceses.

Mas, vem cá. Alguém reparou na roupa que o mandatário francês estava usando? E na roupa do Lula? E em como o eneadáctilo estava suando em bicas?

Gringo nos trópicos é sempre gringo nos trópicos.

7 de fevereiro de 2008

Post Tímido

Eu tinha uma idéia para um post rasgado, escancarado, em ode àquelas mulheres com as quais eu certamente me casaria, por uma série de motivos. Em sua grande maioria são minhas amigas, e cada uma tem um determinado aspecto que chama minha atenção e que me fariam passar anos, bodas de todos os materiais, junto a elas.

Mas aí eu fiquei com vergonha e decidi omitir nomes, e resguardar somente as características físicas e psicológicas.

Uma delas não merece sequer grandes citações, apesar de cada um meio que ter partido caminho, cada um pro seu lado. Mas... céus, ela é hors-concours. Hê.

Outra, tenho certeza que é a mulher dos meus sonhos. Não por idealização excessiva, mas por realmente ter aparecido em 3 sonhos meus há alguns anos atrás, e isso sem a conhecê-la. Inspiração no ápice. Hoje em dia, eu posso dizer que tenho de fato um monte de motivos para ficar da forma que eu fiquei no universo onírico. Ainda mais quando me volto para aqueles olhos claros azul-esverdeados (olhos de pietà), aquele rosto sardento e aquele jeito doce de conversar comigo. De arrancar suspiros.

Acho que a terceira é a própria reencarnação de Clarice Lispector. Tem o mesmo queixo fino, as mesmas maçãs do rosto salientes, os olhos rasgados e verdes de gata zangada. A mesma personalidade de mostrar-se e ao mesmo tempo esconder-se, já que nos 2 anos e poucos que nos conhecemos, eu ainda não consegui descobrir o que se passa na cabeça dela totalmente. É ninja em afirmar essa característica de sua personalidade, ou melhor, mestra shaolin. Mas acho que ela me proporcionaria um romance daqueles da referida ucrano-pernambucana.

A quarta, não poderia esquecer nunca dela. Verdadeira beleza de gelo, inescrutável, vigilante na defesa da muralha que criou em volta dos seus sentimentos, íntimos ou não (embora muito dessa muralha tenha caído nos últimos anos). Muito do fascínio que ela exerce está justamente nessa característica de não revelar nada sobre si. De aparência, é um clone de Nastassja Kinski, com grandes olhos clementes e que mudam de cor. O pouco que pude perceber dela confirma minhas expectativas: estou a anos-luz de distância. Nem por isso ela se torna menos atraente e encantadora, mas admiro como quem admira a beleza destruidora de pedaços de geleira se despedaçando no Ártico: de longe.

6 de fevereiro de 2008

O Preço Da Atrocidade

Hoje eu estava vendo um artigo na Wikipedia sobre um certo tipo de lançador de rojões militar que está em vias de ser fabricado sob licença aqui no Brasil pelo Exército, com alguns melhoramentos incorporados pelas divisões de ciência e pesquisa. Básico, direto da fábrica na Suécia, o equipamento custa cerca de US$ 1,4 mil.

Ou seja, pelo preço de um notebook razoável você consegue uma arma capaz de destruir qualquer tanque moderno.

Eu já sabia desses absurdos que compõem a história do mercado de armas internacional, até porque já assisti "Lord of the War", relato impressionante sobre esse submundo responsável por, entre outras coisas, as diversas chacinas africanas e a violência vista nas grandes cidades brasileiras. Mas é meio que assustador saber que uma arma tão poderosa é vendida tão barata.

Fuzis AK-47 (ou melhor, o Tipo 56, sua versão chinesa direta) são vendidos bonitinhos na caixa por cerca de 90 dólares. Se alguém quiser uma sofisticação maior, pode contar, conforme me contaram, com os mercados no Paraguai: grandes lojas lá podem te entregar um M-16, kit completo, por um preço bem inferior a US$ 1 mil.

Para quem quer realmente ver o circo pegar fogo, um tanque T-72, capaz de realizar um estrago considerável mesmo enfrentando um inimigo mais moderno, pode ser adquirido por uma pessoa mais corrupta no mercado de países do Leste Europeu ou do Oriente Médio. O preço? O equivalente a 3 Mercedes Classe S, tops de linha. Coisa pouca para grandes comandantes de guerrilhas ou coisas do gênero.

Nunca foi tão barato matar em massa. E isso é assustador.

4 de fevereiro de 2008

Associações Estranhas Na Minha Cabeça

Quem me conhece sabe da vontade que eu tenho de me mudar para Brasília, por motivos óbvios. Mas, na minha sincera opinião, Brasília é uma cidade que é capaz de proporcionar somente certos prazeres peculiares, não se trata exatamente de um lugar onde se vá com prazer. Durante certos meses do ano é extremamente seca, tudo fica longe e o serviço de transporte público é horrível, além de o custo de vida ser nas alturas.

O lugar me lembra música dos anos 80. Recapitulando um pouco da história e um pouco (realmente pouco) do que vivi nessa época, foi lá que muitas das bandas de sucesso do pop/rock nacional saíram, junto com seus nomes compostos a tiracolo. Mas quando falo que Candangograd me lembra rock dos anos 80 é de um rock deprê pós-punk, como o que o Cure e os Smiths faziam. Vai saber porquê.

Mas o fato é que, quando me imagino em Brasília, me imagino dirigindo por aquela Esplanada dos Ministérios à noite, com o rádio do carro tocando alguma coisa como "Heaven Knows I'm Miserable Now" ou então "Lullaby". E no que eu estaria pensando na hora? Acho que a mesma coisa em que todo pós-punk da época pensava à noite: na morte da bezerra.

30 de janeiro de 2008

Medo Disso

Essa matéria eu puxei da Folha de São Paulo, ainda na esteira do mistério que envolve a morte de Heath Ledger. Não demora, não demora, e Gus Van Sant vai filmar um Últimos Dias 2, com um sujeito de nome, sei lá, Garth, fazendo o papel do australiano Ledger. Mas voltando ao assunto:

Polícia dispensa Mary-Kate Olsen de investigação sobre Ledger

(...)
A atriz se viu envolvida na morte do protagonista de "O Segredo de Brokeback Mountain" (2005) depois que a massagista de Ledger, que foi encontrado morto na terça-feira passada, telefonou três vezes para Mary-Kate do telefone celular do ator antes de acionar o serviço de emergência.
(...)

Meu palpite? Simples: as gêmeas Olsen, aquelas do olhar estranho, na verdade são representantes de uma seita no estilo de "De Olhos Bem Fechados" e certamente mataram Ledger como punição para algum desvio de conduta dentro daquele grupo social. Ou então por simplesmente ter broxado na hora do culto.

Eu tenho medo das gêmeas Olsen.

25 de janeiro de 2008

O Cúmulo Do Espírito De Porco

Eu participo de uma simulação de Nações Unidas, ou melhor, de "sistema internacional" baseada em um fórum na internet (nerd! nerd! nerd!). Em determinada ocasião estava havendo um apelo por parte do Laos, ou do cara que representava o Laos, por ajuda internacional com o objetivo de remover minas terrestres e munições de fragmentação não detonadas que restavam ainda dos tempos da Guerra do Vietnã. Até aí tudo bem: um monte de países ofereceu ajuda com o objetivo de ficar bem na fita.

Até que apareceu um sujeito que está representando a Mongólia e solta a seguinte pérola:

Perhaps Laod would like to upgrade its arsenal of landmines. Mongolia is designing
a much more effective AP landmine then convential ones, plus it remains active for
up to 50 years, even in humid conditions. Replacing the landmines you have with
more modern ones, would greatly moderinze your country.

Mais tarde, o nosso candidato a rei dos espíritos de porcos apaga a mensagem e publica o seguinte:

Ok, sorry I won't mock 3rd world countries, I couldn't resist.

Na hora, rezei para que esse sujeito NUNCA entre num corpo diplomático. Ou melhor: que nunca se torne político e ganhe poder.


23 de janeiro de 2008

Por Ela, Tudo Está Permeado

Um post recente do Rafael Galvão faz referência a uma listagem de filmes que ele considera ser os maiores já feitos, e isso aconteceu já por causa de um post do Luiz Biajoni. Na hora, eu também fiquei com vontade de dar minha opinião, a exemplo do que ocorrera de outra feita por conta de um post sobre animes da senhorita Melissa Panarello. Mas eu tive outra idéia, pensando melhor. E sobre o assunto.

A criação dos blogs, por si só, não significou exatamente muita coisa. Na minha opinião, um blog é simplesmente um antigo diário (ou log, no termo em inglês) em mídia nova. Ou seja, mais do mesmo, guardadas as devidas proporções. Dostoyevski continua a ser Dostoyevski mesmo se estiver em .pdf, e os articulistas da Veja continuam sendo ruins mesmo postando em um blog. Provavelmente isso é mais grave do que se decidissem continuar escrevendo apenas no papel.

Mas a blogoseira é algo diferente. Aqui, estamos tratando de um monte de meios de comunicação de caráter pessoal, em um maior ou menor nível, que volta e meia acabam por provocar uma reação em cadeia de postagens em seus pares. Às vezes tal fenômeno é provocado (uma "associação" de blogs combinam de fazer a tal postagem temática), às vezes é completamente espontâneo.

Em Comunicação, quando mídias começam a pautar suas notícias de acordo com as publicações ou difusões de outros semelhantes, isso se chama agenda setting, ou definição de agenda. Significa que, ainda que exista uma certa independência entre os meios, há uma busca por noticiar aquilo que a "concorrência" também está noticiando com o intuito de "não ficar pra trás" na atualização dos fatos correntes. E atualização, no universo considerado, significa lucros consideráveis.

É certo que, como dizia um professor meu da época da faculdade, blog não é jornalismo, eu não tenho compromisso nenhum com a atualidade dos fatos (e muitos de meus pares também não) e muito menos ganho para escrever ou me manter atualizado - o que ajuda a explicar a recente falta de atualizações diárias. Mas não deixa de ser interessante perceber como determinadas teorias aplicáveis à mass media também podem ser aplicados a um meio tão pequeno e íntimo quanto um blog.

Ou não tão pequeno e íntimo assim quanto a blogosfera.

20 de janeiro de 2008

Finalmente, Uma Verdade

Eu sempre desprezei e no máximo achava engraçada aquela frase "Sorte de hoje" no Orkut. Mas eis que hoje eles finalmente disseram algo que preste:

Sorte de hoje: Você tem um equipamento incomum para o sucesso, use-o corretamente

Eu nunca disse que não tinha. Nem tive planos para usá-lo de outra forma que não aquela para a qual ele foi projetado.

19 de janeiro de 2008

...Mas Não Perde A Pose

O passatempo preferido de velhos ricos - ou novos pobres - é falar com profunda nostalgia dos tempos de fausto. Por mais que consigam manter alguns bons tostões na conta bancária, nunca, para a sua infelicidade, os tais aristocratas vão se igualar em nível de verdinhas aos novos ricos. No entanto, estes não possuem a mesma finesse dos referidos detentores de títulos de nobreza, e por isso são motivo de piada. Mas o que acontece quando um nobre falido inventa de querer manter os mesmos costumes de um novo rico?

Matéria do Le Monde Diplomatique fala sobre as novas iniciativas de Sarkozy, o Collor francês, com o intuito de projetar o poder de la République da mesma forma como a dita cuja fazia antes da Primeira Guerra Mundial. A França em si nunca deixou de ter um certo nível de projeção de suas forças militares: não se pode chamar de fraco um país com um porta-aviões nuclear (um segundo em construção), pelo menos quatro submarinos com mísseis balísticos, e uma série de bases em algumas de suas antigas colônias, como o Djibuti e a República Centro-Africana. Mostrou seu hard power na hora de esmagar uma ação de rebeldes na Costa do Marfim e de certa maneira ajudou a proteger o Mali durante uma tentativa de invasão pela Líbia nos anos 80.

Mas agora parece que Sarkozy está tendo devaneios à la americana, o que na verdade não chega a ser nenhuma surpresa. Basta lembrar que ele foi eleito com uma plataforma de governo que incluía um choque de gestão no mesmo estilo do levado a cabo por Thatcher e principalmente Reagan. Sarkozy representou também uma quebra na política externa francesa para os EUA que vinha sendo adotada pela UMP desde os tempos do general De Gaulle, diria até colaboracionista o suficiente para fazer com que o narigudo que achava que não éramos sérios se retorça na sua cova.

Estou falando da iniciativa do presidente francês de instalar uma base militar permanente nos Emirados Árabes Unidos, já há algum tempo um dos principais clientes de material bélico francês na região. A tal base teria capacidade para abrigar não só tropas, mas também fornecer apoio permanente para uma força-tarefa naval francesa no Golfo Pérsico.

Os motivos são óbvios. A tal base ficaria no emirado de Abu Dhabi, pertinho do estreito de Ormuz, o único acesso do Golfo para o mar da Arábia e o Oceano Índico. De lá, ele teria uma casa de veraneio com vista para a costa iraniana. Com este movimento, Sarkozy dá um aviso militar claro para qualquer tentativa iraniana de colocar as mangas de fora - muito embora questione-se a eficácia militar desta iniciativa, vide a estratégia militar americana - e ao mesmo tempo angaria o apoio dos pequenos Estados da região, temerosos de uma aventura militar iraniana na região. Estratégia plausível, muito embora dentro de uma visão de mundo paranóica e militarista.

Mas fica a pergunta no ar: quem vai bancar a aventura? Se você responder o contribuinte francês, que possivelmente veria dinheiro que antes financiava a previdência sendo destinado à compra de fuzis, tanques, navios e caças mais bonitinhos, pode abrir o champanhe e fatiar o camembert para comemorar a sua perspicácia.